A Microsoft oficializou algumas notícias bastante importantes: venderá Teams, seu software dedicado a videoconferências, do Microsoft 365. Procedendo na ordem, desde o ano passado, usuários e empresas na União Europeia e na Suíça tiveram que adquirir o Teams separadamente do restante do pacote da Microsoft. Esta decisão surgiu da tentativa de evitar uma possível investigação por parte da Comissão Europeia após concorrentes do Teams criticarem a escolha de incluir o software no pacote Microsoft 365, já bastante utilizado nas empresas.

Entre as vozes mais críticas, certamente a do Folgade propriedade de Força de vendasque anteriormente chamou as ações da Microsoft de “ilegais”, alegando que o fabricante do Windows forçou os usuários a instalar o Teams por meio de seu pacote de produtividade dominante no mercado, escondendo o verdadeiro custo do serviço de chat e vídeo.

Em resposta, a Microsoft disse que está oferecendo flexibilidade aos seus clientes, permitindo-lhes manter o pacote atual que inclui Teams, Office e outros produtos.

Notavelmente, esses clientes têm a opção de renovar seu contrato atual, atualizá-lo ou selecionar uma nova oferta que melhor atenda às suas necessidades.

Além disso, para novos clientes do Teams, a Microsoft forneceu um preço mensal de 5 euros, enquanto para o Microsoft 365, na Europa, será necessário gastar menos 2 euros por mês face ao preço aplicado antes da decisão acima. Finalmente, numa nota vista por TechCrunchos analistas de Morgan Stanley eles especularam que a escolha da Microsoft “provavelmente não mudará a trajetória de crescimento comercial do Microsoft 365.”