A Oura, empresa conhecida por fabricar anéis inteligentes, está prestes a lançar uma atualização que implementará duas funções importantes em seus produtos dedicados ao monitoramento cardíaco. A atualização será lançada até o final de maio. Antes de chegar ao cerne da notícia, pode ser útil ler nossa análise do Oura Ring 3.

Medição da idade cardiovascular

O primeiro recurso permitirá medir a idade cardiovascular de um usuário, comparando-a com sua idade cronológica. Tudo isso servirá para ajudar os usuários a adotar comportamentos capazes de influenciar positivamente seu plano de saúde. A idade cardiovascular será calculada analisando as observações da idade dentro de um sinal de fotopletismografia (PPG). Este sinal indicará informações estimadas de rigidez arterial e velocidade da onda de pulso (PWG).

Capacidade cardiovascular

A segunda característica é a capacidade cardiovascular. Na prática, os proprietários de um Oura Ring terão de fazer um teste de seis minutos em que são solicitados a andar o mais rápido possível para obter um VO2 Max basal, ou seja, a quantidade máxima de oxigênio que uma pessoa é capaz de utilizar durante o exercício físico.

Os esforços da Oura para desafiar a concorrência

Até agora, o segmento de mercado de anéis inteligentes não estava muito lotado, mas a concorrência tem aumentado cada vez mais recentemente. Por último a Samsung, que lançará em breve seu Galaxy Ring. Também por esta razão, Oura está particularmente pisando no acelerador. Nesse sentido, implementou em março uma nova funcionalidade conhecida como Informações sobre gravidez, que fornece informações às gestantes. Em janeiro, porém, a empresa adicionou uma ferramenta de gerenciamento de estresse chamada Resiliência.